Lâmpadas contendo mercúrio

Você sabia que boa parte das lâmpadas que usamos em nosso dia a dia podem causar grandes impactos na saúde humana e no meio ambiente?

Pois é,  após a crise energética de 2001 no Brasil, que se denominou popularmente de “crise do apagão”, a necessidade de redução de consumo de energia elétrica para evitar racionamento ainda mais severo impulsionou diversas ações e projetos vislumbrando a melhoria da eficiência no consumo de energia. Neste momento, as lâmpadas incandescentes, utilizadas de forma majoritária na iluminação artificial, entram em discussão e começam a dar vez as lâmpadas de descarga. Entretanto, boa parte das lâmpadas de descarga utilizadas contem mercúrio, que, mesmos em quantidades pequenas, pode causar grande impacto ambiental.

Na UFV, utilizamos, para os mais diversos fins, os seguintes tipos de lâmpadas que contém mercúrio:

  • Fluorescentes Tubulares
  • Fluorescentes Compactas
  • Vapor Metálico
  • Vapor de Sódio
  • Luz Mista

Um estudo realizado em parceria entre a Divisão de Gerenciamento de Resíduos e o Departamento de Engenharia Civil, permitiu elaborar o documento Melhorias no Sistema de Gerenciamento de Lâmpadas contendo Mercúrio na UFV, que contém, além de um diagnóstico, os pontos importantes a serem melhorados para gerenciamento deste resíduo na UFV. Até o ano de 2015, foram destinadas pela UFV, aproximadamente, 78.000 unidades de lâmpadas contendo mercúrio (acompanhe nossos resultados na página de Indicadores).

 

© 2020 Universidade Federal de Viçosa - Todos os Direitos Reservados